Nesse domingo, continuam aulas na Tom Maior

Dia 30 de junho tem mais uma aula para ritmistas e passistas na Tom Maior. Já são 6 aulas reunindo centenas de pessoas aprendendo técnicas e a arte de sambar ou tocar um instrumento da bateria de uma escola de samba.



As aulas para passistas acontece num espaço próximo ao Metrô da Barra Funda. O curso para os passistas terá 10 aulas com 2h30 de duração cada uma e acontecem nos domingos.

Passista da Tom Maior em um dos ensaios técnicos. Foto: Amantes do Carnaval SP

Serviço

Projeto Sambosim 2019
Para mulheres e homens.
Idade: a partir de 15 anos completos
Data: 30/6, das 15h30 às 18h00
Local: Próximo ao Metrô Barra Funda

O curso terá 10 aulas de 2h30 por domingo.

CURSO PARA RITMISTAS DA TOM 30




Mais de 100 pessoas já estão participando das aulas que formarão ritmistas na Tom Maior. As aulas acontecem na Fábrica do Samba, Av. Dr. Abrahão Ribeiro, 740 - Bom Retiro, São Paulo - SP, com o Mestre Carlão e demais diretoria.

O curso começou no dia 19 de maio, finalizando no dia 25 de agosto de 2019, e as turmas de iniciantes e avançados aprenderão e aperfeiçoarão os instrumentos: Cuíca, chocalho, caixa e repique.



Localização da Fábrica do Samba



Quem não participou das primeiras aulas da bateria mas está inscrito, terá a oportunidade de recuperar a aula perdida e iniciar os aprendizados. 

CARNAVAL 2020

A Tom Maior apresentou, na noite desta quinta-feira (13), o enredo “É coisa de preto”, que vai defender no Carnaval 2020. O anúncio foi feito durante transmissão ao vivo nas redes sociais da escola.




A proposta é enaltecer a negritude e os esforços de uma raça que participou intensamente da construção da identidade de nosso país, muito além de estereótipos. “Nosso desfile mostrará como os africanos se tornaram afro-brasileiros e contribuíram muito no desenvolvimento de nossa sociedade”, conta o carnavalesco André Marins. “São líderes, estudiosos, escritores, poetas, artistas populares e eruditos, transgressores sociais... Personagens que o preconceito insiste em ofuscar de nossa história”, completa.

Na avenida, estarão vitórias e conquistas dessa raça, assim como personalidades negras de destaque em nossa história. “Desde o enredo sobre Angola (2009), a comunidade pedia que a escola falasse sobre negros. E, felizmente, a gente conseguiu atender esse desejo”, destaca a presidente Luciana Silva. 

O título “É coisa de preto” nasceu como uma provocação. “As pessoas se acostumaram a ouvir essa frase com um sentido pejorativo. Mas a Tom Maior vai mostrar que não, que coisa de preto é coisa boa”, completa a dirigente.

Ficha técnica Carnaval 2020

Presidente: Luciana Silva
Carnavalesco: André Marins
Diretor de Carnaval: Judson Sales
Diretor de Harmonia: Yves Alexeiv
Primeiro Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira: Jairo Silva e Simone Gomes
Coreógrafo Comissão de Frente: Alex Darc
Intérprete: Bruno Ribas
Diretor de Bateria: Mestre Carlão
Rainha de Bateria: Pâmella Gomes
Madrinha de Bateria: Andréia Gomes

João Paulo de Oliveira Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram