A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, LigaSP, lançou nessa segunda, 9 de dezembro de 2019, os clipes das escolas de samba para o Carnaval 2020. Os trabalhos divulgados pelo YouTube da enidade é o resultado de um trabalho com o RW Estúdios que gravaram ao vivo os clipes e os sambas-enredo das escolas de samba durante oss dias 27 de setembro e 6 de outubro, na Fábrica do Samba.



"Foram 10 dias intensos de gravações. As 22 faixas do CD Carnaval SP 2020 já estão gravadas e agora serão finalizadas para serem eternizadas. Cada Agremiação preparou seu elenco com quase 100 pessoas cada que fizeram parte de mais um pedacinho da história do Carnaval de São Paulo.A LIGASP agradece toda dedicação e amor à cada Pavilhão! Agora é só esperar...", comentou a entidade em suas redes sociais.



A noite de quarta, 2 de outubro de 2019, foi cheia de energia entre os quase 100 integrantes da família vermelho-amarela da gravação do samba-enredo e clipe do Carnaval 2020.

"A atmosfera estava excelente. Esse ambiente que a Liga cria de ser o momento da sua escola, com cores, símbolos, transmissão ao vivo... É um trabalho pra se aplaudir de pé. Todo esse ambiente instiga quem vai lá gravar e o resultado é aquele coro maravilhoso que foi visto ontem, mais a empolgação contagiante e mesmo com toda entrega de quem vai lá cantar, tocar e participar você não sente o cansaço.", elogiou o diretor da Tom Maior, Bruno Freitas ressaltando a energia do grupo que esteve presente.

Bruno Freitas com grupo presente na gravação. Foto: Redes Socias / Divulgação - Carol Cardoso


Desde 2017, as escolas gravam ao vivo seus sambas para o CD da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo nas instalações da Fábrica do Samba.

É coisa de preto

Em 2020 a Tom Maior apresentará o enredo: “É coisa de Preto”, quando será a segunda escola a desfilar na sexta-feira, dia 21 de fevereiro, no Sambódromo do Anhembi, pelo Grupo Especial paulistano.

"É Coisa de Preto" é um enredo afirmativo, que mostra que a contribuição de negros e negras para a formação de nossa nação vai muito além do estereótipo. Nosso desfile mostrará como os africanos se tornaram afro-brasileiros e trouxeram sua contribuição não só física, mas (principalmente) intelectual no desenvolvimento de nossa sociedade.




Líderes, estudiosos, escritores, poetas, artistas populares e eruditos, transgressores sociais... Personagens que o preconceito insiste em ofuscar de nossa história, mas que devem ser trazidos aos holofotes para o devido reconhecimento, e também para inspirar as novas gerações.

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem