Resgatar a história e preservar a cultura da Tom Maior. Essa é a intenção e será o trabalho do Departamento Cultural que a agremiação irá estabelecer entre os setores da escola e há oportunidade de pessoas integrarem ao trabalho.

CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR


O Departamento Cultural será o órgão gestor da memória e documentação histórica da Tom Maior e de quem faz os dias, espetáculos e históriar, iniciando e tem como objetivos: promover o registro, a preservação e a divulgação das informações e conteúdos culturais e históricos da Tom Maior.

Para esse departamento e todas as propostas, a Tom Maior recorre aos milhares de integrantes que frequentam e que já frequentaram suas quadras, ensaios, reuniões, desfilese eventos. Quem quiser ser colaborador ou tem material histórico e cultural relacionado.a Tom Maior, basta CLICAR AQUI.

TOM MAIOR

Embalada pelos versos de Martinho da Vila (“Vai ter de amar a liberdade, só vai cantar em tom maior, vai ter a felicidade de ver um Brasil melhor”), a Tom Maior nasceu em 14 de fevereiro de 1973.



Em plena ditadura militar, era um grito de liberdade de sambistas, que apostavam na renovação do Carnaval, e de estudantes da Universidade de São Paulo (USP), que sonhavam com novos rumos políticos para o país.

Desde a fundação, a escola tem a diversidade como uma de suas marcas. Eram homens e mulheres, negros e brancos, jovens e sambistas experientes, liderados por Hélio Bagunça – dissidente da co-irmã Camisa Verde e Branco. O primeiro desfile foi em 1974, no Grupo 3 (hoje Grupo 1 da UESP).

A falta de uma sede própria e os ensaios realizados nas ruas fizeram com que a Tom Maior mudasse de endereço diversas vezes. A origem foi no bairro do Sumaré mas, ao longo do tempo, a escola passou por Pinheiros, Vila Madalena, Sumarezinho, Cerqueira César, Bom Retiro e Piqueri, onde está atualmente.

Em 1976, a agremiação cantou “A Feira” e garantiu o vice-campeonato do Grupo de Acesso conquistando, assim, a sua primeira oportunidade no Grupo Especial do Carnaval de São Paulo. O melhor resultado até hoje foi o quarto lugar alcançado em 2018.

A Tom Maior é uma escola verdadeiramente popular, que faz parte da memória e da vida da cidade. É uma referência importante para os sambistas paulistanos, levando adiante as raízes destes ideais que, com certeza, têm contribuído para um Brasil melhor.

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem